sábado, 8 de janeiro de 2011

FEMINISMO

Uma questão de inveja, não de liberdade



Durante vários séculos, as mulheres vieram lutando em todos os continentes por oportunidades para participar da vida política, social, econômica e cultural de seus países.
Foram feitas várias campanhas pelos direitos das mulheres: ao voto, à sua autonomia e à integridade de seu corpo, direitos reprodutivos (reivindicando contracepção e cuidados pré-natais de qualidade) e direitos trabalhistas.

Desejava-se especialmente a proteção de mulheres e garotas contra a violência doméstica, o assédio sexual, o desrespeito e o machismo. Resumidamente, era preciso que os homens e a sociedade abandonassem a concepção de que a mulher era um objeto.

Em pleno século XXI, analisando as conquistas da mulher ao longo dos anos, vendo mais mulheres comandando governos, invadindo o mercado econômico (tanto em termos de salários mais altos quanto de profissões diversas e estereotipadas como “masculinas”) e assumindo posições importantes na sociedade, ainda falta ampliar essas conquistas até o ponto em que não sejam mais vistas como uma vitória feminina, mas sim com a naturalidade de uma sociedade que saiba da possível potencialidade de ambos os sexos - não há motivos para comentários.


Mas, que conquistas são essas?

As mulheres agora têm liberdade sexual e traem, paqueram (às vezes assediam) e tratam os homens como objetos. Têm poder econômico e gastam seu dinheiro com plásticas, cosméticos, e rituais de beleza. Podem escolher quando ter filhos para delegar seus cuidados às babas e creches. Têm liberdade para escolher como gastar seu tempo, e passam horas vendo novelas e lendo revistas especializadas em artistas. Aparentemente, levaram a igualdade ao pé da letra.

Se antes reclamavam da falta de respeito a elas por parte dos homens, das práticas de lazer caseiras, de serem vistas como objeto e do descaso com a família e os filhos, agora fazem o mesmo.

A meta de colocar a igualdade dos sexos em evidência foi cumprida, mas a que custo e o que foi feito com isso?


Do ponto de vista de que todos somos seres humanos e o sexo não é uma limitação à nossa capacidade de ser parte da sociedade, as mulheres estão estabelecendo seu papel, e não teria porquê não o ter feito, é uma questão de humanidade e lógica, pois não há motivos para excluir a capacidade de alguém de tomar decisões, se ela é capaz disso.

Além do mais, é importante perceber que a conquista da independência da mulher frente ao homem destrói ideais machistas e patriarcais dominantes, e leva à destruição de valores obsoletos padronizados na sociedade.

Pontos de vista que separam os sexos, em vez de uní-los e considerar a igualdade de condição (humana) entre eles, são retrógrados. As diferenças existem, mas nenhuma diferença serve de base à discriminação.


O que acontece é que, ao conseguirem condições de igualdade com os homens, as mulheres não passaram a combater o comportamento e valores reprováveis de antes, mas passaram a, também, utilizarem-se destes.


Deveria ter-se aproveitado a oportunidade de apontar os erros que eram vistos para acabar com tais valores e excluí-los da sociedade, mas ao contrário, as mulheres passaram a ter as mesmas atitudes de que antes desejavam se ver livres. Tanta luta para que a mulher deixasse de ser vista como um objeto, e hoje faz-se o mesmo com os homens. Não é difícil vermos mulheres escolhendo homens como se fossem sapatos.

Além disso, quando há objetivos em vista, sempre explora-se a capacidade de objetar a mulher. Vemos isso nos videoclipes de artistas como Lady Gaga, onde a cantora (claro que não só ela) faz gestos insinuantes para a câmera, sempre evidenciando seu corpo e se mostrando como um objeto a ser desejado. Também é assim muito comumente nos videoclipes de rappers como 50 cent, Snoop Dog e milhares de outros, que aparecem sempre rodeados de mulheres-objeto, exibidas as vezes como troféus, outras como simples brinquedos.

Mas não é só o mercado que se aproveita dessa imagem feminina, pois quando as mulheres querem “conquistar” alguém, não deixam de sair com as roupas mais provocantes do armário e agirem do modo mais insinuante possível. Claro que não estamos generalizando, mas esse tipo de comportamento ainda é o predominante em mulheres - e é compreensível, pois funciona.

A mulher agora pode optar entre carreira ou filhos, pode determinar com maior facilidade suas prioridades e participar ativamente da sociedade, mas a ideia de que ela deve ser vista e desejada ainda prevalece e parece se fortalecer com o tempo. Por outro lado, quando a mulher não precisa ser o objeto, assume o papel contrário e se torna ela a possuidora da visão que objeta.


Os valores anteriores ainda existem e a mulher-objeto não deixou de existir com a ascensão feminina. Pelo contrário, tudo isso foi fortalecido pelo mercado, assumido pelos homens (que não escondem seu desejo puramente imagético) e tirado proveito pelas mulheres.


A luta das mulheres partiu do objetivo de que elas fossem reconhecidas como pessoas, e pode-se dizer que elas conseguiram (pelo menos em grande parte) a igualdade tão pretendida perante os homens. Mas ainda não aprenderam com a experiência, agora contribuem para que os valores que as fizeram oprimidas continuem se perpetuando.

Aparentemente (e infelizmente), a dita luta pela igualdade resumia-se em apenas ocupar as mesmas posições do homem, e não em livrar a sociedade de uma visão arcaica.

31 comentários:

  1. Não acho q tenha sido uma questao de inveja, mas talvez a questao da mulher objeto continuar a existir tenha sido oportunismo das mulheres por terem algo "a seu favor" para utilizarem, mesmo q seja algo q na verdade as deprecia.

    ResponderExcluir
  2. A luta era por igualdade de condições e isso foi alcançado. Ponto.

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que o fato é que as mulheres ainda estão meio perdidas e não se encontraram, não sabem o que fazer com a liberdade.

    ResponderExcluir
  4. É preciso semiótica para entender os rastros dos acontecimentos. Elucidem cada palavra e conceito utilizado deste ideal (feminismo), assim chegarão a uma conclusão dferente a que se encontram - compartilharão a visão do Blog CCAL.

    ResponderExcluir
  5. Não sei o que foi mais ridículo do post, o moralismo latejante desse discurso retrógrado (que é contra a liberdade social que por um ponto de vista sempre vai ser a "objetização" do outro sexo) ou ter que ler a palavra "troféus" escrita como "troféis".

    ResponderExcluir
  6. Patola, infelizmente, você não compreendeu o texto - faço minhas as palavras do Eder Juno, acima.
    Este texto, assim como o Blog, "Criando Condições à LIBERDADE", é completamente a favor da liberdade social. A crítica do texto em questão foi a uma das consequências contraditórias do feminismo, que nasceu com um objetivo, aparentemente, de acabar com a opressão, livrar a sociedade de um mal, mas o que observamos é que se resumia apenas a uma questão de alcançar as mesmas posições do homem. O mal de tratar o outro como objeto ainda se perpetua.
    Sobre a palavra, erros acontecem. É uma infelicidade achar um texto ridículo por esta razão. Obrigado por avisar e debater.

    ResponderExcluir
  7. Kelly, posso fazer uma crítica construtiva?

    O problema é que parece (ou de fato você está, não sei) defendendo o moralismo religioso.

    Sim, mulheres traem e fazem mais sexo. Mas sexo é apenas mais uma de nossas necessidades fisiológicas, como comer, beber, etc. Não há nada de incorreto, imoral ou sujo nisso, ao contrário: tem de sublime, mesmo quando o sexo é casual.

    E ainda é muito pouco. As mulheres têm de se libertar muito mais. E ainda têm muito mais direitos a conquistar, como o direito de decidir sobre o próprio corpo: o direito do aborto (que faz parte dos direitos humanos, declarado pela ONU).

    Eu, pessoalmente, não sou a favor do feminismo nem a favor do machismo. Sou a favor da igualdade plena e completa. Somos todos seres humanos, com diferenças apenas anatômicas e mínimas.

    A mulher deve sim ter o direito a trabalhar fora e o homem tem o DEVER de ajudar em casa, em tudo. Na cozinha, no cuidado com os filhos... TUDO.

    Aqui em casa é assim. Aliás, meus pais têm sítio e só quem vacina e cura o gado é minha mãe, porque meu pai passa mau ao ver sangue. E o que há de errado nisso? Nada.

    Errada está a cabeça dos religiosos, que querem não só decidir o como devemos nos comportar, mas também o como devemos pensar e até como, quando, onde, com quem, de que forma fazemos sexo. Isto sim: é um absurdo.

    Pior: ainda são contra os direitos humanos.

    BeijÃO!

    ResponderExcluir
  8. "Sou a favor da igualdade plena e completa. Somos todos seres humanos, com diferenças apenas anatômicas e mínimas."

    Nós também, Mário.

    A crítica do texto de modo algum é à liberdade ou à igualdade dos sexos (como já dito aqui nos comentários).

    A questão é simplesmente que as mulheres não aproveitaram a oportunidade de se igualar aos homens para extinguir os males que eles causavam, como tratar o sexo oposto como objeto. Excluindo-se esse objetivo, as mulheres não queriam a liberdade (dos valores a que eram submetidas), mas apenas a igualdade de situação (ao que elas têm direito).

    Poderia ter sido um oportunidade para mudança da sociedade, mas foi uma mudança apenas para as mulheres. Muito bem vinda, e que, aliás, como eu disse no texto, ainda precisa ser ampliada.

    ResponderExcluir
  9. Ser favorável ao feminismo é ser politicamente correto. Eu não ligo pra essa onda de ser politicamente correto.

    Existem aqueles caras vulgarmente conhecidos como os “comedores” que adotam o estilo ‘moderninho’ para determinadas mulheres, as que estão “afinadas com o seu tempo”, as que têm a certeza de que os trabalhos manuais e/ou intelectuais podem muito bem ser divididos e até mesmo chegam a não ter dúvidas de que exercícios que envolvam raciocínio espacial, abstrato e numérico podem ser melhores feitos por muitas mulheres.

    Então, estas mulheres são as presas dos “moderninhos” pois estes caras que adotam o discurso que melhor dê boa impressão à mulher, são os sedutores natos e conhecem o melhor vernáculo pra satisfazer o apetite sexual. Elas então se iludem no sexo após a transa e fazem generalizações sobre os homens tais como: Só querem sexo, não têm sentimentos e só querem “trepar”..etc.

    Um dos maiores problemas é que as mulheres nunca vão saber diferenciar sexo de amor, sexo de paixão e misturam tudo ! Se os homens quiserem desmontar a farsa do feminismo é só atacar pelo calcanhar de aquiles delas que são os sentimentalismos [Principalmente os piegas].

    A mulher naturalmente não faz muito juízo da razão principalmente quando estão grávidas. Qual a função do corpo feminino que amadurece quando está apta para a fertilização ? Dar crias, educar crianças pois as mulheres assim como as crianças, a fantasia jamais as deserdam mesmo quando estão na idade adulta. Brincam e gritam como as crianças, têm crises de choro e gritam esganiçadamente quando estão bravas por um motivo mesmo que banal. Quem aguênta quando todas estão juntas ? São como uma revoada de gralhas em briga por grãos e são assim análogas às crianças. Logo, a paciência e muitas vezes a simpatia e a afinidade por brincadeiras com as outras como pular corda, bambolê e outras brincadeiras desestimulantes para o desenvolvimento motor.

    Mas a natureza ou o instinto lhe reserva em especial e exclusivamente para um fim: O da procriação. Vejamos:
    Quando engravidam ela faz o papel que a natureza manda. nada mais natural. porém quando cisma de pensar aí o fracasso vem. porque o cérebro está impregnado de hormônios e o mundo gira em torno do umbigo. Todo o suposto raciocínio é proveniente de uma causa que tem efeito, segundo seu ponto de vista, único e exclusivamente para lhe aborrecer ou lhe paparicar. Se algo vai bem, foi como o ‘planejado’, se algo lhe entristece é por que sua intuição já dava indicativos. Fora que usam a TPM para justificar seus disparates verborrágicos e ausência de senso crítico e o natural desequilíbrio emocional quando a TMP aflui no que lhe sobra de neocórtex pensante.

    ResponderExcluir
  10. Concordo em parte, Kelly.

    Quanto ao sexo, não adianta. É a natureza humana. Somos animais como todos os demais, por isso mesmo temos os mesmos instintos.

    Quando vivíamos em árvores, o sexo era assim mesmo. Pegava-se, fazia, engravidava a mulher e a largava pra se virar com a cria.

    Hoje pelo menos ficamos do lado e apoiamos (tá, nem todos de nós....).

    Mas, sabe... A vida é muito curta. Curta demais mesmo. E é só isso aqui, depois já era. Por mais que alguns acreditem em "algo além", ninguém tem como ter certeza absoluta disto, afinal ninguém nunca voltou pra contar. Não há evidência alguma.

    Então... O jeito é curtir e aproveitar o máximo que dá. :)

    Se encontrar a pessoa certa e passar o resto da vida curtindo e aproveitando com ela, maravilha. Se não der, vai com quem pintar. :)

    Cada um é feliz como pode, com aquilo que tem. ;)

    BeijÃO!

    ResponderExcluir
  11. Eu entendi perfeitamente o objetivo do texto e concordo.

    Ninguém está criminalizando a nova postura sexual feminina, e nem creio que esse seja realmente o núcleo do debate.

    Mas eu acho que ignorar a hipocrisia existente no fato das mulheres repudiarem comportamentos masculinos classificados como sexistas e, após conquista da sua liberdade, utilizar da mesma atitude, é ser falso-moralista.

    Parabéns à todas as mulheres que agora têm os mesmos direitos dos homens, mas saibam que vocês herdaram com isso comportamentos sexistas que na conquista desses direitos vocês julgaram errados tê-los.

    ResponderExcluir
  12. Mário, você havia dito que sexo é uma necessidade fisológica, como comer e beber por exemplo, mas sexo é um instinto e não uma necessidade. Caso contrário, nenhum ser humano seria capaz de viver sem sexo, e sabemos que isso não é verdade. Já ficar sem comer e beber água...

    E a crítica às escolhas que são feitas, é feita apesar de eu achar que todos tem o direito de fazer as suas próprias. Nem por isso deixo de mostrar caminhos que acho mais aproveitáveis.



    Alexandre, ser politicamente correto é bobeira, mas ser retrógrado também. Não é porque as mulheres (que pode ser a maioria, mas ainda não todas)fazem más escolhas que devem ser privadas de sua liberdade. Elas apenas precisam ter condições de escolher, como todos.

    ResponderExcluir
  13. Caro Mário, não como dizia Aristóteles para Platão, mas como diria Platão para Aristóteles: "Tenha os pés no chão!".

    Antes de se aventurar pelo espaço, pelo universo, pela ciência, lembre-se que você é um homem, e, ainda, precisa viver sua condição humana através de sua "qualidade" peculiar: a percepção.

    A percepção nos dá uma firme convicção sobre o mundo que experienciamos - tal como você (Mário) percebe a ilusão de religiosos. Mas aos olhos fenomenológicos você é mais um crente, mais que alguns religiosos e menos que outros. Suas religiões, diria, simulacros ou ainda fé perceptivas, são outras - fora isso é igual a qualquer crente. É o mesmo assunto que debatemos no twitter - a fé que em você reside e causa sua percepção de mundo.

    ResponderExcluir
  14. Comentei antes mas deu um erro e vou ter que escrever tudo de novo, talvez não da mesma forma que antes. :/

    Selecionei o trecho em que foi dito que a emancipação feminina foi um fenômeno natural da sociedade que reconheceu os direitos da mulher e tal. Acho que sim e não. Geralmente o que torna possível uma revolução é a condição da sociedade que de alguma forma está apta a receber tal informação inovadora, e também quem a veicula e com que força o faz. Portanto acho que as mulheres não podem ser tiradas da equação. Também destaquei que nas antigas mitologias européis e as xamanistas da Ásia também, a mulher ocupava lugar de destaque; era vivido um matricarlismo graças a, ou por consequência, uma mitologia que colocava as mulheres em posição de criadoras da vida e de uma Deusa -Mãe criadora do Universo. A corrente gnóstica que rivalizou com a emergente Igreja Católica também exaltava o papel da mulher em seus cultos e elas podiam até celebrar missas, algo impensável para católicos.

    Quanto à natureza da igualdade feminina conquistada, concordo plenamente com vc. Mulheres conseguiram muita coisa, mas também conquistaram literalmente uma igualdade até com relação aos pontos negativos ou neutros dos homens. Lembrei que eu já comentei com amigos que é bem engraçada essa nova tendência feminina ao fanatismo pelo futebol. Não vejo propósito racional nisso. As mulheres tanto reclamavam da parnóia masculina e agora fazem a mesma coisa!! Pra que??

    Comentando logo o que o Mário disse quanto à sexualidade feminina e sua necessidade fisiológica. Concordo que temos essa necessidade. isso é um fato. Mas acho que temos que tomar cuidado para que essa questão não justifique o comportamento sexual animalesco e promíscuo. Isso não é fruto de conceitos religiosos, e nem de algo que eu presumo que esteja certo à priori. Eu só acho que uma espécie com quase 200 mil anos de evolução não precisa priorizar algo que era priorizado quando ainda nem existia homo sapiens. Temos o poder de superar a natureza até certo grau. Às vezes eu fico meio intrigado com o fato de que tantos anos de evolução não mudaram muito as nossas prioridades para além do sexo e alimentação.

    Não tive tempo para ler os comentários todos, espero não ter sido repetitivo.

    ResponderExcluir
  15. Quer saber até onde vai o feminismo ?
    Vá à um restaurante caro e mande ela pagar a conta...

    ResponderExcluir
  16. Realmente há algumas questões citadas que ridicularizam qualquer tentativa de reivindicação de liberdade das mulheres. Acredito que mulheres que agem assim, se aproveitando de forma hostil das oportunidades que aparecem, simplesmente não têm ideia do que é o verdadeiro movimento feminista! Não se trata de ser um machismo às avessas e sim, um movimento que exige igualdade!

    ResponderExcluir
  17. "Quer saber até onde vai o feminismo ?
    Vá à um restaurante caro e mande ela pagar a conta..."

    Eu ri. Mulher é um ser baixo e repugnante. Quer ter os mesmos direitos dos homens, mas quando ocorre essa situação, elas não gostam(não pagam, ou pagam e ficam com cara de cu). E se fizer isso no primeiro encontro, 99% de chance de não acontecer o segundo.

    Resumindo, elas querem igualdade, sem abrir mão dos privilegios(nice!!).

    Tem que chegar ao ponto em que um homem meter um soco dentro da cara de uma mulher, seja como uma briga entre iguais. (Mulher pode bater no homem, que o cara é chamado de viado, frouxo, entre outras coisas. Se ele tenta se defender, é covarde, cruel e repugnante.)

    ResponderExcluir
  18. Acho que teve muitos momentos em que você confundiu as coisas.

    Na minha opinião:
    1- Só porque uma mulher está tendo uma atitude ou outra, não quer dizer que é uma atitude feminista. As mulheres, assim como os homens, também internalizam o feminismo, assim como muitos homens podem apresentar atitudes feministas. Hoje em dia o pensamento machista ainda é predomintante tanto nos homens como nas mulheres (é uma tendência social e não de gênero).

    2- Acho que você muitas vezes tem uma visão demasiadamente moralista das coisas e faz críticas a certos processos de igualdade como negativos simplesmente porque vão contra suas noções morais.

    3- Você, como outros aqui, confude feminismo com femismo. O movimento feminista prega a igualdade entre os sexos. É uma corrente bem plural quanto ao que considera como igualdade, mas a base é esta.

    4- Devido a isso é importante salientar que o machismo ainda está MUITO LONGE de ser superado. Você argumenta como se os homens e as mulheres já tivessem alcançado algum nível de respeito e reconhecimento perto do relevante. Mas a mulher ainda é amplamente tomada como objeto. É fácil perceber isso.. . Por exemplo no fato de as mulheres não terem nem mesmo a liberdade de andar na rua a noite sem quer sérios riscos de ser molestada (verbalmente e fisicamente) e não somente pelos "depravados" ou "tarados", mas por homens ditos "normais".

    5- Bom.. Cansei de escrever.

    6- Eder Juno.. Irado.. Todos vimos que você leu (ou lê) algo do Aristóteles, do Platão, dos carinhas da fenomenologia, (talvez filosofia em geral) etc.

    Mas por favor, esse papinho pseudo-intelectual é pedante.

    ResponderExcluir
  19. Melques, no começo do texto fizemos a elucidação sobre o que é o "Feminismo" que nos propusemos a falar - leia-o novamente, faz-se necessário. Falamos sobre o fato de ainda não existir a mesma igualdade social entre homens e mulheres. O fato é que o dito "machismo" é a moral masculina em tratar a mulher como um objeto, não como uma pessoa. Todo o motivo da não igualdade sofrida pelas mulheres, de modo individual e social no passado(vitoriosamente reduzido a apenas alguns aspectos hoje) tem sido reproduzido por tantas mulheres. Ou seja, não aprendeu-se a lição.

    Obs: A que papinho pseudo-intelectual pedante você está se referindo Melques?

    ResponderExcluir
  20. "Mulher é um ser baixo e repugnante"

    Vc é orfão?
    Vc é um viadão que não pega nenhuma mulher né?

    Seu viado frouxo.

    Não sou mto feminista,mas não suporto ver viadões tratarem as mulheres como se fossem um ser que não vale nada,que não contribui em nada...

    Me dá raiva,faz a gente se sentir realmente um lixo.
    VTNC...

    ResponderExcluir
  21. Li comentários bons por aqui e uns tão bobos que nem vale a pena citar.

    Mas a questão é... mulheres precisam continuar tendo acesso ao que é bom. Homens podiam praticar sexo casual ou não porque era bom! E é natural que todos, independente de ser homem ou mulher, vão querer o que é agradável.

    E saiam dessas manias de repetir que mulher quer que o homem pague a conta, que abram a porta do carro, que digam palavras bonitas vazias. Eu sou casada, sempre que saia com meu marido no período de namoro, ele pagava o cinema, na vez seguinte eu pagava, fazemos o mesmo com as contas de casa, prestação do carro e tudo mais. Ninguém é "menos homem" por isso ou "menos mulher". Igualdade é isso.

    As mulheres precisam parar com o comportamento "prostituta" de ser, de ficar usando o corpo, os charmes pra perpetuar o discurso bobo de que mulher gosta de dinheiro. E os homens precisam parar com o comportamente de masturbadores mentais, machos que só querem saber de mulher mulher mulher. A vida é muito mais que isso.

    Não reforcem tais comportamentos em seus filhos e filhas.

    ResponderExcluir
  22. Quanta complexidade, ñ se matem, neste texto e em seus comentários vemos muitos pontos de vista.
    Seres humanos
    "Homem e Mulher"
    Sempre na desigualdade.

    Vcs podem se matar discutindo mas nunca haverá
    uma coordenação que diga o certo do errado.

    Eh um ótimo texto, mas nem tudo eh perfeito.

    o Bem e o Mau estão sempre juntos, assim como Os Homens e as Mulheres.

    ResponderExcluir
  23. É uma mentira que o feminismo quer a igualdade entre os sexos. Olhe para qualquer setor da sociedade e você verá uma feminista tentando se dar bem:

    - Orgãos especializados em atendimento à mulher. Quantas delegacias do homem você tem na sua cidade? Quantas secretarias para o homem existem na administração pública?

    - Só o homem é obrigado a fazer o serviço militar. Onde estão as feministas querendo servir nas Forças Armadas, afundar na lama em exercícios militares e correr o risco de morrer em uma guerra?

    - Em concursos para forças de segurança, a mulher não precisa fazer o mesmo número de exercícios físicos para passar no exame de admissão. Por que meu dinheiro dos impostos está indo para o salário de uma policial que não tem tanto preparo físico quanto o homem? Ela ganha menos por isso? Não, ganha o mesmo que o seu colega homem. Essa mulher acaba de pegar a vaga de um homem que era mais forte e capaz que ela

    - Não é dificil achar pesquisas que mostram que homens e mulheres se agridem mutuamente nos relacionamentos. Quem também nunca viu ou ouviu uma mulher agredir fisica, verbal ou emocionalmente um homem? Porque o texto da Lei Maria da Penha fala em proteger a mulher unicamente?

    A lista de contradições entre o discurso feminista e as ações concretas é longa e poderia ser discutida durante dias. Além disso, em nome de um discurso politicamente correto elas mentem e distorcem dados.

    - Falam que o homem ganha mais. Quantas mulheres você conhece que trabalham em setores altamente lucrativos, como tecnologia e engenharias? Agora compare com o número de mulheres que trabalha em setores que pagam menos, como enfermagem, pedagogia, artes...

    - Dizem que precisam aumentar o orçamento para combater os crimes violentos contra mulheres. Segundo estatísticas, quem mais sofre com a violência urbana é o homem, não a mulher. Por que ao invés de concentrar esse orçamento em uma secretaria governamental voltada apenas para a mulher, não usamos esse dinheiro para tratar da violência contra o ser humano? Ou melhor, vamos criar secretarias de combate a violência contra o homem também...

    Como foi bem colocado no texto, o feminismo pegou as oportunidades que foram dadas às mulheres e estão fazendo tudo errado. Quer igualdade de gênero? Eu tenho uma sugestão.

    Comece a pensar em políticas que beneficiem todo mundo, não só um gênero ou outro.

    Ou como foi colocado, vá a um restaurante caro e divida a conta com a mulher =)

    ResponderExcluir
  24. mando bem rodrigo ...

    ResponderExcluir
  25. Na verdade Thais, é por pegar tanta mulher que cheguei a essa conclusão. Perdi anos da minha vida tentando ser um homem normal, ficando com mulheres solteiras. Pra que isso, se uma mulher casada libera até o c* com tamanha maestria, digna de uma profissional do sexo. E o pior, que isso é motivo de orgulho pra vocês.

    E como dito anteriormente,vocês querem igualdade, sem abrir mão do privilégios. Tem que ser igual em tudo, não da pra ser meio igual, assim como não da pra ficar meio gravida...

    Se isso não é ser baixo e repugnante, então não sei...

    ResponderExcluir
  26. Kentaro = Forever Alone

    c nao é o único q ja levou chifre, bota e teve sexo sem prazer...

    Ficar tendo chilique virtual pega mto mal... fica dica.

    flw...

    ResponderExcluir
  27. Chilique? Tinha que vim de um ser baixo e repugnante mesmo...

    Nunca levei chifre, pq nunca fiquei tanto tempo com uma mesma mulher, então, no problem.

    "Antes só do que mal acompanhado". Já escutou essa? Pelo visto não.

    ResponderExcluir
  28. Isso inuteis, se matem, vao la.

    Marquem um lugar e levem armas.

    Meu cerebro diz uma coisa, o do parcero ali diz

    outra, e cada um cada um.

    Absorvam coisas boas mesmo onde elas nao existam.

    Se eh feministas, ou Machistas que se fodam, eu queria mudar o mundo mas sozinho nao posso.

    se vcs se inirem podem fazer algo, mas algo Util.

    Abraçs

    ResponderExcluir
  29. Hahahahahahah inveja?
    ahhhh essa foi muito boa talvez a melhor do ano.. só não a melhor do ano porque chegou em minhas mãos a reportagem de um bispo, dizendo que mulheres só são estupradas com a delas..
    Diga-me então... seria inveja dos salarios maiores, da liberdade, sexual, talvez seja inveja do força fisica um tanto que mais proeminente no homem..
    Inveja.. essa não é a primeira vez que ouço isso.. e é nessa parte em que penso... ''homens, se passassem ao menos pela metade''
    Não!! Não sentimos inveja, não quermos ser melhor do que vocês homens.. lutamos sempre pela igualdade... não pela supremacia feminina... isso nãoe existe, não queremos o poder.. queremos respeito, queremos ser protegidas realmente das violencias que sofremos.. queremos ser tratadas como seres humanos, não como genero inferior...
    Essa SOCIDADE PATRIARCAL só serviu para nos ameaçar, nos usar, nos abusar.. estrupar-nos..
    Não! não, sinto inveja desse poder decadente que vocês reetêm, com o ''respeito'' a base de violencia e intimidação.. o mais cristão possivel.
    Matem as vadias, as prostitutas, elas recebem meu membro limpo, integro, enfiando ele nela para tirar todo pecado, por uns miseros reais..
    isso mesmo homens condenem, condenem seus objetos... Não façam destinção nem por idade...
    Usem a liberdade que sempre tiveram para continuar escravizando..
    afinal, nascemos mesmo para servi-los não é?

    ResponderExcluir
  30. o que esta mulher está fazendo em pé na frente de um urinol?
    será que elajá tem aquilo roxo?
    teu artigo é contradizente.

    ResponderExcluir